Sergio Moro dobrou o número de chefes de organizações criminosas detidos em presídios federais.

Diz o Estadão:

“Com dificuldade em fazer o pacote anticrime avançar no Congresso, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, aposta no combate às facções criminosas para marcar sua atuação no governo e se reposicionar no jogo político. Seu ministério intensificou a política de isolamento dos chefes de grandes organizações e, de janeiro até a semana passada, dobrou o número de detentos em presídios federais (…).

O ministério comandado pelo ex-juiz da Lava Jato intensificou a política de isolamento dos chefes de grandes organizações em presídios federais e, de janeiro até a semana passada, transferiu 321 líderes e integrantes de facções como PCC, Comando Vermelho e Família do Norte de celas de presídios estaduais para o Sistema Penitenciário Federal.

A estratégia fez com que o número de detentos em suas cinco unidades dobrasse. Há ainda 400 vagas disponíveis.”

Deixe uma resposta